Como interligar dois computadores distantes com uma rede wireless?

Preciso ligar 2 PC sem ter cabos que atravessem a rua. Possuo um roteator wireless  que fica localizado a uns 40 metros longe da outra casa, onde às vezes consigo um sinal mínimo. Gostaria de saber se colocando uma antena no outro PC (que fica do outro lado da rua) daria um ganho consideravel? Ou teria que colocar um antena emissora no roteador?

O sinal da rede wireless é muito parecido com o de uma lâmpada, destas de iluminação. Quanto mais baixa a lâmpada estiver, mais sombras vão aparecer e menos ela vai iluminar. No caso da rede, quanto mais alta ficar a antena do roteador, quanto menos obstáculos estiverem no caminho, e quanto mais perto a antena ficar do receptor, mais alto vai chegar o sinal no cliente.

No caso de uma rede destas a antena do roteador deve ser colocada, de preferência, do lado de fora da edificação, no local mais alto possível mas a salvo dos ladrões e dos elementos agressivos da natureza como sol e chuva. A antena deve ter uma visada o mais direta possível para o micro que vai receber o sinal do roteador. Se preciso, deve ser ligado um cabo para que a antena seja desligada do roteador e possa ser colocada em evidência.

Critérios para a escolha de uma antena para rede wireless:
Além do posicionamento físico da antena, a escolha do modelo de antena mais adequado para a sua aplicação wireless é de grande importância. Para tanto, existem alguns cuidados a ser considerados, pois o sucesso do projeto depende fundamentalmente do sistema irradiante, isto é, da antena. Os principais fatores são:

  • Distância – A antena a ser escolhida deve cobrir uma distância maior do que a necessária para determinada situação a ser atendida. Caso seja utilizada uma antena operando em sua capacidade máxima, provavelmente os sinais chegarão mais fracos que o exigido pela aplicação e isto tende a agravar-se com o tempo, devido ao desgaste e oxidação dos equipamentos.
  • Largura da onda – Expressa em graus, a largura de onda denota o alcance de um sinal. Quanto mais larga for a onda mais curta tende a ser a área de cobertura. Por outro lado, as ondas mais largas compensam os fatores ambientais, como o vento, que afetam adversamente a performance da antena.
  • Ganho – Expresso em dbi, representa o aumento da potência do sinal após processado por um dispositivo eletrônico. Usualmente, ganhos maiores revertem em distâncias maiores, contudo maiores distâncias exigem largura de onda menor e margem de erro muito maior. Para evitar esses problemas, alguns fatores como vento e prédios existentes no trajeto do sinal devem ser considerados no projeto da rede wireless.

Tipos de antena para redes wireless:
Alguns cuidados devem ser considerados na hora de escolher o modelo de antena mais adequado para uma aplicação wireless, pois o sucesso do projeto depende fundamentalmente do sistema irradiante, e existem diversos tipos de antena externa para as redes wireless. Entre eles podemos citar:

  • Distância – A antena a ser escolhida deve cobrir uma distância maior que a aplicação necessária. Caso seja utilizada uma antena operando em sua capacidade máxima, provavelmente os sinais chegarão mais fracos que o exigido pela aplicação.
  • Largura da onda – Expressa em graus, a largura de onda denota o alcance de um sinal. Geralmente, quanto mais larga for a onda, mais curta será a área de cobertura. Por outro lado, as ondas mais largas compensam os fatores ambientais, como o vento, que afetam adversamente a performance da antena.
  • Ganho – Expresso em dbi, é o aumento da potência do sinal após processado por um dispositivo eletrônico.  Usualmente, ganhos maiores revertem em distâncias maiores, contudo maiores distâncias exigem largura de onda menor e margem de erro muito maior. Para evitar esses problemas, alguns fatores como vento e prédios existentes no trajeto do sinal devem ser considerados no projeto da rede wireless.

Para começar, podemos dividir estes tipos em dois grupos principais: omnidirecional e direcional.

Antena Omnidirecional:
As antenas omnidirecionais cobrem 360º no plano horizontal. Elas trabalham excepcionalmente bem em áreas amplas ou em aplicações multiponto. Usualmente, este tipo de antena é utilizado em estações base, com estações remotas colocadas ao seu redor. Fisicamente, estas antenas são uma espécie de vareta, parecida com as antenas dos auto-rádios.

Antenas direcionais:
As antenas direcionais concentram o sinal em uma única direção. Seus sinais podem ter alcance curto e amplo, ou longo e estreito. Via de regra, quanto mais estreito o sinal maiores distâncias ele alcançará. Normalmente, este tipo de antena é utilizado em estações remotas para fazer a comunicação entre estas estações com uma ou mais estações base. O formato da antena também deve ser levado em conta. Os formatos de antenas direcionais mais comuns são estes:

Parabólica – As antenas parabólicas canalizam o sinal em forma de cone, sendo indicadas para aplicações de longa distância. A antena semi-parabólica, uma variação da parabólica, emite o sinal de forma elíptica. Os modelos grid (grelha) são menos suscetíveis à ação dos ventos em razão dos mesmos passarem através da estrutura em forma de gaiola. Seu sinal pode chegar de 40 a 50 Km em condições eletricamente visuais.

Setorial – As antenas setoriais têm formato amplo e plano, e são normalmente montadas em paredes podendo ser interna ou externa. São mais recomendadas para links entre prédios com distâncias de até 8 km. Algumas podem operar até 3 Km. dependendo do ganho especifico no projeto.

Yagi – São antenas rígidas usadas externamente em ambientes de condições hostis. Foram projetadas para resistir a formação de gelo, chuva pesada, neve e ventos fortes. Os sinais podem chegar a 30 Km, em condições favoráveis.

Outros equipamentos:
Muita gente pensa que as redes wireless se reduzem aos roteadores baratos que hoje em dia se encontra em qualquer loja de materiais de informática, mas a verdade é que existe uma enorme variedade de dispositivos par amontar redes wireless. Com eles torna-se possível montar estruturas de rede a distância, com velocidade de até 11Mbit/s de transmissão.

Numa amostragem rápida, entre estes equipamentos podemos citar diversos tipos de Access Points, antenas, bridge, cabos de vários tipos, cartões PCMCIA, centelhadores, conectores, conversores, divisores e placas adaptadoras.

Para os computadores e periféricos conectados a conexão wireless fica totalmente transparente e a configuração é como uma placa de rede normal. A rede wireless é transparente também para o protocolo, TCP/IP, IPX, NetBEUI ou outros podem trafegar e existir ao mesmo tempo na mesma rede.

Fonte: http://www.revistapnp.com.br

About doutorinfo

Blog informativo de tecnologia e informática. Todas novidades do mundo Hi-Tech, os melhores produtos e marcas, os problemas que podem aparecer no uso e como se prevenir. Um canal de interação para quem gosta de tecnologia. Consultoria Especializada - IlhaService

Posted on 13 de Setembro de 2010, in Rede, Wireless and tagged , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: